Pular para o conteúdo principal

Causas e soluções: Saiba o que fazer se o seu cabelo estiver caindo muito

Você notou ao acordar, que o travesseiro encontra-se com alguns fios de cabelo? E como fica o seu pente após pentear os fios? O seu cabelo está caindo? Caindo muito? Então há algo acontecendo no seu organismo que pode estar desencadeando a queda de cabelo.

 São inúmeros fatores que podem gerar a perda dos fios. O importante é encontrar a causa e iniciar o tratamento antes que se torne um problema que venha a prejudicar a sua autoestima e suas relações interpessoais.

É comum entre homens e mulheres, as queixas sobre o nosso tema, principalmente na fase adulta e nos casos mais simples com um tratamento a base de vitaminas e estimulantes podem resolver o problema.

 A queda de cabelo é considerada um problema quando você percebe que a quantidade de fios perdidos é de mais de 100 fios por dia que é a média normal. Dentro de 100 fios por dia não é motivo para se preocupar, pois o seu cabelo está perdendo fios ao mesmo tempo que outros estão nascendo.

Obviamente que você não precisa contar fio por fio, mas perceber que uma quantidade anormal de cabelo está caindo todos os dias já é sinal de alerta. Principalmente quando notar falhas no couro cabeludo ou perceber que o volume está cada vez menor.

Quando você notar que há algo errado, procure um@ dermatologista. Para determinar o que pode ser a causa da sua queda de cabelo apenas um médico poderá dizer, pois encontramos na internet dezenas de motivos que podem contribuir para a queda de cabelo. 

Entre os fatores que podem ser tratados de forma mais rápida e simples posso citar:

 Excesso de vitamina A;

Estresse;

Queda de cabelo por dietas rígidas perda de peso;

Uso de Anticoncepcionais;

Falta de vitaminas;

Falta de proteínas;

Fatores hormônais;

Menopausa;

Falta de ferro;

Pós parto;

Uso de Anticoncepcionais;

Síndrome do ovário policístico;

Uso de anabolizantes;

Uso de corticóides;

Uso de antidepressivos;

E outros.

Fatores como fumo e uso constante de processos químicos também interferem na queda capilar. Ainda na lista de possíveis causas da queda de cabelo podemos listar doenças como lúpus, psoríase, diabetes, sífilis, hipertensão, hipertireoidismo, problemas supra-renais e outras.   

 Há uma série de tratamentos eficazes para tratar a queda de cabelo. Então, se você percebeu que seu cabelo está caindo conseguirá encontrar muitos tratamentos interessantes.

Na farmácia mesmo você encontra complexos de vitaminas que irão estimular a produção de fios e fazer com que seu cabelo cresça mais rápido.

Outra forma de estimular o crescimento dos fios é fazer massagens com óleos vegetais que contribuem para isso como é o caso óleo de rícino.

 Esses tratamentos, porém, serão apenas um acelerador do nascimento de novos fios, mas a causa verdadeira da sua queda precisa ser investigada por um médico e tratada para que você tenha os melhores resultados.

Tratamentos com remédios devem ser indicados apenas pelo seu médico, pois ele irá respeitar suas condições de saúde, alergias e principalmente a causa da queda de cabelo. Por isso, ao ver que o seu cabelo está caindo não perca tempo e consulte um médico.

Entre os remédios ele pode sugerir soluções para aplicação utópica, reposição hormonal, reposição de vitaminas, aplicação de injeções na área afetada, tratamentos a laser e muitos outros que ele pode sugerir para resolver a sua queda de cabelo.

Cabelo não é apenas estética, ele também reflete como anda o seu organismo que quando está saudável produz as enzimas responsáveis pelo bom funcionamento dos folículos pilosos e com isso seu crescimento de fios é contínuo e cada fio passa pelas três fases naturais.

Gostaram?
Luz e paz!
Abraços 😊

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um breve relato

Como muitos sabem, um hobby meu, minha paixão mesmo, é cantar.
Digo muitos, porque como moro em uma cidade pequena, então quase todo mundo sabe quem é quem. rsrs.

Quando eu era criança comecei a cantar e me envolvi e desenvolvi um gosto imenso pela música. Gravei até fitas (sim, naquela época eram, fitas) não eram ruins não. Cantava musiquinhas que aprendia na escola, como: "uma formiguinha corta folha e carrega..." Sem dúvida daria continuação a várias delas com um pouco de maturidade que adquiri ao longo dos longos anos.
Como faria isso? eu não tinha oportunidades e não sabia tocar qualquer instrumento. Então, seria inviável tentar buscar e realizar esse sonho e dom. 

A vontade de cantar profissionalmente despertou ainda mais com o passar do tempo. Desde sempre ouço elogiarem minha voz . Sonhei em me tornar, em mostrar o meu talento. 

Mas essa vontade ficou por muito tempo engavetada por falta de oportunidades, mesmo com os meus pais que sempre me apoiaram. Mas também, eu achav…

Trend alert: meia arrastão: sim ou não?

A meia arrastão foi sensação nos anos 80 e 90, e muito popular no guarda-roupa de famosas, como Cindy Lauper e Madonna. Tinha uma pegada mais punk e rock. Como os tempos mudam, para algumas mulheres, a meia arrastão é considerada sensual, já para outras, é um tanto brega. Pois é, mas o fato é que elas voltaram á tona, chamam sim a atenção e têm conquistado o closet de várias fashionistas.



Desprendendo-se do (in)útil

Quem nunca?  "vou dar uma geral no meu guarda-roupas." Ou seja qualquer parte do quarto ou da casa que necessite de "um grau". Daí surge o pensamento: "é melhor deixar porque vai que volte a moda, ou talvez se eu me arrepender..." - coisa chata, é incerteza! - E com isso passam-se os dias, semanas, meses e até anos e você não precisou deste item. (kkkkkkk) O que acabou amontoando as gavetas, ou (falando de objetos), acumulou poeira. 
Muitas vezes você acaba até esquecendo o que possui.
É certo que há coisas mais fáceis e outras mais difíceis de se desfazer (revistas, apostilas daquele curso que já acabou, agendas, CD's, jornais, eletrodomésticos que já não funcionam, roupas que nos trazem boas memórias)
Em contrapartida, é necessário ter noção que aquele item, está a ocupar um espaço que provavelmente pode ser útil para outra coisa.
E convenhamos que quando começam os questionamentos sobre a importância dos objetos em nosso local de convívio, é porque já nã…